Exposição - Cultura Alemã - 100 Anos

Exposição - Cultura Alemã - 100 Anos

FRANCISCO RECKZIEGEL “UM ANO SEM ASSIS SAMPAIO”




FRANCISCO RECKZIEGEL

UM ANO SEM ASSIS SAMPAIO”


Natural de Linha Terezinha, Sampaio, Venâncio Aires, nascido em 21 de dezembro de 1929. Profissão: Técnico em Contabilidade. Falecido em 7 de julho de 2008, sepultado em Estrela-RS. Faleceu no Hospital Moinhos de Vento em Porto Alegre.


Reckziegel foi o primeiro presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) de Estrela. Integrou a primeira diretoria do Centro Cultural 25 de Julho.


Seu pseudônimo literário foi adotado em razão do santo padroeiro, São Francisco de Assis, e do nome de sua terra natal, Sampaio.


Entre 1936 e 1939 estudou na Escola Paroquial, em Sampaio. De 1940 a 1945 estudou no Seminário Seráfico, em Taquari. Mais tarde 1955-1957 – Escola Técnica de Comércio, em Estrela.


Realizou trabalhos como a produção de crônicas semanais para Jornal Nova Geração 1972-1989. Também produziu crônicas para o Jornal O Informativo do Vale e Jornal Folha de Estrela.


De 1979 a 1989 realizou comentário dominical na Rádio Alto Taquari de Estrela-RS.


Em 1995 recebeu prêmio “Histórias de Trabalho”, do Núcleo Cultural Usina do Gasômetro, da Prefeitura Municipal de Porto Alegre na categoria “Lembranças e Vivências”.


Em 1997 publicou o livro NAS BARRANCAS, uma seleção de crônicas do Jornal Nova Geração, com apresentação do jornalista da Rede Globo, Alexandre Garcia.


Em 1999 recebeu Menção Honrosa no Concurso Santa Crua, 150 Anos de Colonização Alemã, na UNISC.


Ainda em 1999 Edição do livro DIVAGAÇÕES e REMINISCÊNCIAS, crônicas do Jornal Nova Geração, com prefácio do escritor Lothar Hessel.


Em 2000 teve trabalho selecionado no Concurso Histórias de Trabalho, da Secretaria Municipal da Cultura, da Prefeitura Municipal de Porto Alegre.


Em 2001, edição do livro RECORTES DO JORNAL, crônicas do Jornal Informativo do Vale, com prefácio do jornalista Osvaldo Carlos Van Leeuwen.


Talvez quem melhor tenha definido a importância da obra de Assis Sampaio foi Alexandre Garcia no prefácio do livro “NAS BARRANCAS” quando escreveu “Mas não é apenas a crônica de uma cidade, que desperta recordações. É também um livro para ser lido nas escolas, não só para estudar o estilo filosófico do cronista, mas também para aprender uma parte da história da cidade. Porque a cidade tem alma, sim. E cronistas como Assis Sampaio, são uma espécie de médiuns, que invocam espíritos das cidades. A alma de Estrela baixou neste livro”.


Os três livros de Assis Sampaio compõem o acervo do Memorial da Aepan-ONG.


Pesquisa: Airton Engster dos Santos

Fonte de dados: Livros de Assis Sampaio

Ruben Gerhardt - COLONIZAÇÃO DE TEUTÔNIA E CORVO, sobre a colonização alemã na região de Teutônia e Corvo.


Ruben Gerhardt


Ruben Gerhardt nasceu em 18 de julho de 1923, filho de José Arthur Guilherme Gerhardt e de Frida Person, pequenos agricultores da cidade de Estrela, Estado do Rio Grande do Sul.


Muito cedo começou a trabalhar na agricultura; seus pais tinham um tambo de leite e criavam suínos, galinhas e cultivavam verduras.


Em 1930 começou a freqüentar o Colégio Elementar 7 de Setembro, e depois de oito anos completou o curso fundamental.


Em 1938, no mês de junho foi admitido como funcionário da Associação Comercial e Industrial de Estrela-RS (ACIE).


Casou-se em 1945, no dia 03 de fevereiro com Norma Sommer.


Foi vereador de Estrela na 15ª legislatura (1947-1951), pelo Partido de Representação Popular.


Em 1948 deixou o emprego na ACIE e ingressou numa empresa industrial retirando-se da mesma em 1970, para substituir o Secretário Geral da ACIE Senhor Rudolfo Maria Rath, que havia falecido.


Até junho de 1988 exerceu o cargo, atuando na contabilidade e assistência técnica.


Ocupou a presidência da ACIE por diversos períodos.


Destacou-se em Estrela, nos esportes como voleibol, basquete e tênis.


Dedicou tempo considerável para o levantamento de dados para escrever o livro COLONIZAÇÃO DE TEUTÔNIA E CORVO, sobre a colonização alemã na região de Teutônia e Corvo.


O apego à tradição alemã e o fascínio ao trabalho dos antepassados o levaram a escrever o livro.


Em 1992 recebeu, juntamente com sua esposa, a oportunidade de viajar por 30 dias pela Europa. Lá, visitou entre outros países a Alemanha onde se interessou pelo sistema agrícola, oportunidade em que resolveu escrever sobre a colonização alemã.


Retornando ao Brasil, durante 10 anos foi anotando fatos e relatos sobre os imigrantes que se estabeleceram no “hinterland” estrelense. Além das entrevistas com os idosos, descendentes de imigrantes dedicou-se à pesquisa de campo, levantando os dados que são narrados em seu livro.


Dedicou o livro a sua esposa Norma. O prefácio é do historiador Guido Lang.


Sobre o Livro: COLONIZAÇÃO DE TEUTÔNIA E CORVO – Imigração Alemã no Sul do Brasil:


Eternizar acontecimentos e nomes da história dos municípios de Teutônia, Colinas, Imigrante e Westfália, assim como refrescar a memória de várias estirpes familiares destas paragens, eis a obra de inestimável valor que o pesquisador Ruben Gerhardt nos apresenta nos seus escritos.


Um trabalho ímpar, uma pérola em função da preciosidade de dados, fotos e mapas.


Estas fontes retratam facetas da odisséia dos colonizadores, que, em meio às dificuldades e perigos de toda ordem, introduziram a visão, européia de mundo na mata e terras subtropicais do Vale do Taquari.

(Contracapa do livro)

Texto: Airton Engster dos Santos

Fonte: Livro “COLONIZAÇÃO DE TEUTÔNIA E CORVO” que compõe o acervo do Memorial da Aepan-ONG.


Dom Affonso Felippe Gregory - Estrela-RS



Dom Affonso Felippe Gregory


Nasceu na cidade de Estrela, Rio Grande do Sul no dia 06 de fevereiro de 1930. Fez seus primeiros estudos na cidade de Gravataí-RS até o ano de 1949.


O Bispo Emérito de Imperatriz tinha 78 anos de idade quando faleceu em 06 de agosto de 2008. Sofria de leucemina (câncer no sangue). A doença já o incomodava há anos, mas estado dele se agravou durante um passeio que Dom Affonso fazia em Estrela.


Como era desejo dele, Dom Affonso foi sepultado na Catedral de Fátima, em Imperatriz. Antes de ir para o Maranhão, o corpo foi transladado de Porto Alegre para Estrela-RS. Foi velado na igreja onde Dom Affonso foi batizado, fez a primeira eucaristia e se crismou.


Estudou Filosofia na cidade de São Leopoldo-RS. De 1950 a 1952, cursou Teologia na Universidade Gregoriana de Roma – Itália, onde recebeu diploma de licenciatura em Teologia no ano de 1956.


Estudou na Universidade de Lovaina - Bélgica, onde em 1960 recebeu Licenciatura em Ciências Sociais.


Escreveu o livro: COMBATI O BOM COMBATE... O COMBATE CONTINUA, MUDA PORÉM A FORMA. Documento sobre sua vida e trajetória que se encontra no Memorial da Aepan-ONG, doado por Belkis Carolina Calsa.


Cargos Ocupados Dom Affonso Felippe Gregory:

  • Professor de Sociologia na Faculdade de Filosofia de Viamão-RS.

  • Pároco em Porto Alegre-RS.

  • Sub-Secretário Regional Sul III.

  • Diretor do Ceris.

  • Membro da Equipe de Reflexão Telógico-Pastoral do CELAM.

  • Membro da Comissão de Desenvolvimento e População da OEA.

  • Membro toda Conferência Internacional de Sociologia Religiosa.

  • Membro da Associação Latino-Americana de Sociologia.

  • Secretário da Federação de Institutos e Pesquisas Sociais e Sócio-Religiosas.

  • Membro da Associação Internacional de Sociologia.

  • Membro da Equipe de Coordenação Geral da CNBB.

  • Consultor da COR UNUM de Roma.

  • Bispo Auxiliar do Rio de Janeiro.

  • Presidente do Regional Leste I.

  • Membro da Mantenedora da PUC.

  • Presidente do CERIS.

  • Presidente da Cáritas do Brasil.

  • Membro do Conselho Episcopal da Pastoral da CNBB.

  • Membro do Departamento de Ação Social da CELAM.

  • Bispo de Imperatriz Maranhão.

  • Presidente da Caritas Internacional por duas Vezes.


Pesquisa: Airton Engster dos Santos

Fonte: Livro de Dom Affonso Felippe Gregory que compõe o acervo do Memorial da Aerpan-ONG.


Sérgio Werle - Artista Plástico de Estrela-RS





Sérgio Werle

Artista Plástico


Começou suas atividades artísticas aos oito anos de idade. Expôs seus primeiros trabalhos no antigo Ginásio Cristo Rei.


Participou de diversas exposições individuais e coletivas em Estrela e outros municípios.


É restaurador de arte sacra, com obras em diversos templos religiosos do Estado, possuindo painéis artísticos no Parque São Francisco de Assis, localizado em São José Inhacorá, no município de Três de Maio-RS.


Foi destaque no curso de Desenho Publicitário de Lajeado-RS, Destaque de Honra ao Mérito concedido pelo Jornal Nova Geração e destaque como artista plástico 1991, pela colunista Eunice Güntzel Ramos.


Foi condecorado pela Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos por participar do Concurso Internacional de Arte Filatélica, sendo que recebeu o certificado de participação Olho de Boi.


Sérgio Werle também desenvolve trabalhos de decoração para festejos, bailes e outros eventos, com destaque para o Grupo Folclórico Alemão de Estrela.


Participou como figurino de fantasias para carnaval de diversas escolas de samba.


Ministrou cursos de artes plásticas.


Também possuí painéis lindíssimos na sede social e campestre da Sociedade Rio Branco de Estrela.


Airton Engster dos Santos

Fonte: Livro - Estrela 1876-1992 do acervo do Memorial da Aepan-ONG



Estrela-RS - Caminhada contra as drogas




Caminhada reuniu centenas de pessoas na luta contra as drogas

O grito de “Não as Drogas” ecoou pelas ruas de Estrela em forma de protesto na tarde desta sexta-feira (26/06), reunindo mais de 300 pessoas, na caminha: “Vida. Dê a preferência!”, uma parceria da Prefeitura de Estrela, através das Secretarias de Saúde de Assistência Social; Educação, Cultura e Turismo, com apoio da Brigada Militar e promoção do Comitê Municipal de Políticas sobre Drogas.

Vestidas de camisetas brancas, segurando nas mãos balões pretos que simbolizavam as vidas destruídas pelas drogas, alunos de diversas escolas públicas do município iniciaram a caminhada em frente à Brigada Militar, alguns segurando cartazes em repúdio ao uso dos entorpecentes.
A presidente do Comitê Municipal de Políticas sobre Drogas, Thaís Cristina Saraiva Bender, enfatizou que a caminhada é uma das formas de conscientizar e alertar a população que a droga é um problema social.
“Devemos alertar a todos que a vida é mais importante e dar preferência a ela, é a escolha certa”, lembrou.

A caminhada foi encerrada no Parque Princesa do Vale, com o estouro dos balões, simbolizando a opção pela vida.
Fotos: Josué Garcia

Prefeito Celso Brönstrup: “Queremos craques no futebol e estamos em campanha contra o crack com “ck”






Prefeito Celso Brönstrup: “Queremos craques no futebol e estamos em campanha contra o crack com “ck”

O prefeito Celso Brönstrup participou da entrega da premiação aos melhores da edição 2009 do Campeonato Amador de Futebol de Estrela, categorias “Livre” e “Sub18”. A solenidade aconteceu na tarde de domingo (21/06), no campo do Delfinense, no Distrito de Delfina.


Brönstrup destacou a importância do esporte como forma de oferecer uma ocupação sadia aos jovens. “O objetivo dessa competição foi justamente valorizar a gente de Estrela. Queremos craques no futebol e estamos em campanha contra o crack com “ck”, enfatizou o prefeito.


Também participaram da premiação o secretário municipal de Esportes e Lazer (Smel), Nardir Rosemundo Steffens “Gardel”; o secretário municipal de Agricultura, Paulo Floriano Scheeren “Paulão”; presidente da Liga Estrelense de Futebol Amador (Lefa), Vanderlei Gregory “Nico”; dirigentes, comissão técnica, atletas e torcedores das quatro equipes que movimentaram a competição. Todos enalteceram o sucesso do certame.
A edição 2009 do Campeonato de Futebol Amador de Estrela contou com a participação de 193 atletas.


Além disso, registrou 36 partidas, com 152 cartões amarelos e 20 vermelhos. Foram marcados 150 gols. Destes, 70 gols foram marcados pelo Delfinense – 30 na categoria Livre e 40 na Sub18. Nas duas categorias o Delfinense também teve as defesas menos vazadas.


O certame foi promovido, organizado e dirigido pela Liga Estrelense de Futebol Amador (Lefa) e pela Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer (Smel). O pagamento da arbitragem foi custeado pela Prefeitura e participaram somente atletas de Estrela, nas categorias “Livre” e “Sub18”.

Classificação Final Categoria Livre:
Campeão: SE Alto da Bronze
Vice: SEC Delfinense
3º: EC Novo Paraíso
4º: EC Juventude
Disciplina: EC Juventude
Goleador: Émerson da Silva ( SEC Delfinense)
Goleiro menos vazado: Artur de Brito (SEC Delfinense), com média de 0,9 gols.

Classificação Final Categoria Sub 18:
Campeão: SEC Delfinense
Vice: SE Alto da Bronze
3º: EC Juventude
4º: EC Novo Paraíso
Disciplina: SE Alto da Bronze
Goleador: Junior Jader Fell (SEC Delfinense)
Goleiro menos Vazado: Lucas Zanella (SEC Delfinense) com media de 0,9 gols.


Biblioteca Pública de Estrela-RS


Livros de autoajuda são os preferidos dos leitores da Biblioteca Pública de Estrela

Os livros de autoajuda são os preferidos de pelo menos 90% dos leitores da Biblioteca Pública Municipal de Estrela.


A informação é da servidora Maria da Graça Hansen, que há 28 anos trabalha no local.


Ela acrescenta que as obras da autora Zíbia Gasparetto, que escreve romance espírita, são as mais lidas. “Espinhos do Tempo” e “Quando a Vida Escolhe” são livros que praticamente não permanecem na biblioteca.


O acervo atual reúne 21.820 obras e a Biblioteca possui 6.610 leitores cadastrados.

O público é variado, desde crianças até idosos.

A freqüência média diária é de 70 leitores.


O horário de atendimento é das 8 horas às 17 horas, sem fechar ao meio-dia.


Para se cadastrar são necessários documento de Identidade, CPF, comprovante de residência e não há cobrança de taxa.


Cada leitor pode retirar até 3 livros, pelo período de 14 dias.


Além de livros, revistas e jornais, a Biblioteca de Estrela disponibiliza a “Hora do Conto” e dois computadores para acesso gratuito à Internet.


O prédio localiza-se na rua 13 de Maio, nº 360, no Centro.
Três servidoras trabalham na Biblioteca.


Lisete Koch Mallmann atua na restauração dos livros danificados pelo intenso manuseio dos leitores.


Já Maria da Graça Hansen e Élia Eichelberger atendem e orientam aos milhares de leitores.


A jovem estudante Daiana Leonhardt, 18 anos de idade e residente em Estrela, é leitora há cinco anos.


“Gosto de frequentar a Biblioteca. Leio de tudo um pouco”, explicou.

STR - Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Estrela



IV Dia da Saúde do STR - Junho 2009

Foi um grande sucesso a quarta edição do Dia da Saúde, promoção do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Estrela, junto com a Comissão de Mulheres Trabalhadoras Rurais de Estrela.
O evento teve lugar no Centro Comunitário de São Jacó, e mais de mil pessoas se fizeram presentes.


A abertura foi às 9h com pronunciamento do presidente do STR Lécio Gregory e demais autoridades que constituíram a mesa.
Entre os presentes, a vice-prefeita Dra. Irene da Silveira, secretários municipais, deputado Heitor Schuch (PSB), presidente da CEASA Elmar Schneider, vereadores, Emater, Ascar, SESC, SENAR, entre outras entidades.


Após a abertura, aconteceu a palestra motivacional proferida pelo professor Leonildo José Mariani, seguindo-se os Grupos de Danças Folclóricas Alemãs de Estrela.


Durante o dia diversas atividades foram efetivadas, proporcionadas pelo Senar, CEASA, Instituto da Mama, Sesc, Secretaria Municipal da Saúde, Hospital Estrela, Liga Feminina de Combate ao Câncer, Emater, Anjos da Saúde e foram oferecidos gratuitamente serviços como exames pré-cancer, medicina alternativa, teste de visão, podologia, oficina de plantas bioativas, massagens, cortes de cabelo e a grande atração da tarde foi um baile animado pelo grupo Contagem Regressiva.

Fonte: Luiz Carlos Freitag



Estrela-RS - Bairro Imigrantes





Bairro Imigrantes em Estrela-RS


Bairro em Estrela situado entre a BR-386, Arroio Estrela e a Rua Coronel Brito. O nome do bairro é para homenagear os imigrantes e migrantes, que vieram se estabelecer em Estrela-RS.


A urbanização iniciou na década de 1950.


A partir de 1978, FOI construído e instalado o Núcleo Habitacional da Cohab II, quando novos moradores vieram se fixar na Chácara da Prefeitura e nos novos loteamentos que foram criados a partir de então.


Novas indústrias se instalaram junto à BR-386 que proporcionou novos empregos. São ruas do bairro: Tomás Pereira Neto, Olinda Mallmann, João José Schonarth e a Deodoro da Fonseca foi alterada para rua Alfredo Mathias Arenhardt e aberta a Rua Gabriel Aloísio Mallmann em homenagem ao ex-prefeito que administrou Estrela nos anos 70 e 80. Também neste local foi instalado o primeiro Pró Morar de Estrela-RS.


Na rua São Francisco de Assis foi construída a Escola Municipal Odilo Afonso Thomé, que nos anos 90 foi transferida para nova área. Na Rua Coronel Brito está situada a Escola Estadual Madre Branca.


No bairro também funcionam a Escola Municipal de Educação Infantil Arco-Íris e a Pousada da Criança Estrelense.


Existe ainda a Comunidade São José Operário, com um pavilhão construído em alvenaria, o Centro Social da Cohab II, o Centro Comunitário São Jorge e o Centro de Lazer Junto à Chácara da Prefeitura.


A Sede Campestre da Sociedade Rio Branco, também está situada no bairro, na Rua Artur Francisco Preussler.


A Associação de Moradores da Cohab II, a Associação de Moradores do Bairro Imigrantes, são as entidades representativas do bairro.


Pelo Censo 2007, o bairro possuí 847 domícílios, com 2.625 habitantes.


Texto: Airton Engster dos Santos

Imagens: Jorge Scherer e Airton Engster dos Santos



Estrela-RS - Entre as comunidades de Delfina e Arroio do Ouro




Interior de Estrela-RS

Entre Arroio do Ouro e Delfina


No interior de Estrela-RS, entre as comunidades de Arroio do Ouro e Delfina podemos constatar grande riqueza e diversidade ecológica. Área que situa-se entre o perímetro urbano da cidade, o Rio Taquari e o município de Bom Retiro do Sul.


Segundo levantamento do Censo de 2007 realizado pelo IBGE a área abriga 427 domicílios com uma população de 1.368 habitantes.


Nas propriedades rurais, em terras férteis constata-se a produção de leite, suínos, aves, peixe, floresta plantada, cana de açúcar, milho, soja, pastagens entre outros.


Nas comunidades de Arroio do Ouro e Delfina vemos também as igrejas que demonstram a religiosidade da população. Próximos às igrejas estão os prédios das escolas e salão das comunidades, bem ao costume dos imigrantes alemãs que aqui chegaram a partir de 1856.


Também existem os clubes de futebol amador Arroio do Ouro, Aimoré e Delfinense, atual campeão de Estrela-RS.


As sociedades de água de ambas comunidades garantem água potável que é distribuída aos moradores.


As terras das propriedades de Arroio do Ouro que margeiam o Rio Taquari estão com processo erosivo em suas barrancas, o que causa grande apreensão para os moradores que acreditam que o principal responsável pela situação é a barragem de Bom Retiro do Sul.


Na RS 129, antiga estrada para Bom Retiro do Sul já foi alvo de uma série de manifestações para sua manutenção, inclusive com a criação de um boneco que foi batizado de João Buracão, que de quando em vez aparece nas paradas de ônibus como forma de chamar a atenção das autoridades.


Com relação às estradas municipais estão relativamente conservadas, sendo que a prefeitura municipal de Estrela está asfaltando a via de acesso para comunidade de Delfina.

Mas o que mais chama a atenção é a beleza do verde seja das plantações, florestas e matas que margeiam as estradas e lagoas encantadoras com água mesmo em períodos de estiagem.


Um passeio pelo interior de Estrela realmente nos renova o espírito quando percebemos a beleza da natureza e pessoas que labutam sem parar apesar de seus problemas do cotidiano e muitas vezes com a omissão de algumas autoridades como no caso da RS 129.


Texto: Airton Engster dos Santos

Imagens: Airton Engster dos Santos e Jorge Scherer

Frota de Veículos cresceu 7,66% em Estrela no ano de 2008




Estrela recebeu mais de mil veículos em 2008

O IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística acaba de divulgar a frota de veículos dos municípios brasileiros referente ao ano de 2008.

Em Estrela o crescimento foi de 1.074 veículos, ou seja, 7,66% em relação a 2007.

As categorias que mais evoluíram foram automóveis seguidos de motocicletas e caminhonetas. Tiveram crescimento importante ainda motonetas, caminhão-trator e caminhão. Já a categoria ônibus diminuiu. Micro-ônibus e trator estabilizaram.

Estrela apresenta uma taxa de 1(um) veículo para cada 1,92 habitante. Ou ainda cada domicílio possuí em média 1,58 veículo.

São 15.087 veículos circulando nas ruas já apertadas de Estrela. A malha viária de Estrela foi projetada para outro tempo, para veículos menores em menor número e não com tamanha potência.

A situação do trânsito em Estrela é um verdadeiro desafio para as autoridades no que se refere ao fluxo e também disciplina. Algumas alterações na orientação do trânsito no centro da cidade já surtiram efeitos positivos.

E por falar em disciplina no trânsito recentemente a Aepan-ONG realizou uma pesquisa com pedestres de Estrela que se mostraram preocupados (66%) especialmente pela falta de respeito dos motoristas com a faixa de segurança.

Texto: Airton Engster dos Santos
Fotos, Tabela e gráfico: Aepan-ONG

Fonte: IBGE – Denataran – Ministério da Justiça.

Missa de Santo Antônio em Estrela-RS



Missa de Santo Antônio reúne mais de 600 pessoas - Junho/2009
Mais de 600 pessoas participantes dos 25 grupos de idosos do Grupo de Apoio e Convivência do Idoso Estrelense (Gracie), vinculados a Secretaria Municipal de Saúde e Assistência Social, participaram na tarde da última terça-feira (09/06), da tradicional Missa de Santo Antônio, realizada no Santuário Santo Antônio, em Estrela. Durante a missa, devotos pediram a benção do padroeiro e agradeceram ao Santo Casamenteiro como é conhecido popularmente.
Fonte: Prefeitura Municipal de Estrela-RS

Sindicato dos Trabalhadore Rurais de Estrela-RS


Texto: Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Estrela

O Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Estrela nasceu da união e trabalho dos produtores rurais do município em 06 de maio de 1963. Na ocasião foi eleita a primeira diretoria tendo Frontino Caye como primeiro presidente, Waldemar Hilgemann como secretário e Virgílio Sulzbach como tesoureiro. Em 17 de agosto do mesmo ano a entidade obtinha a Carta Sindical. A Sede localiza-se na Rua Venâncio Aires, nº. 155 – bairro Centro.

Sindicato dos Calçadistas de Estrela-RS


Sindicato dos Calçadistas de Estrela

O Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Calçados de Estrela foi fundado em 11 de abril de 1989. Seu primeiro presidente foi Clério Diehl. Entre outras atividades proporciona aos associados, cursos de formação, assistência Jurídica trabalhista e processos coletivos. O Sindicato possuí uma história muito rica de dedicação por parte de seus dirigentes e associados para construção da sede própria que funciona na Rua Coronel Mussnich, bairro Alto da Bronze, defronte a Escola de Ensino Médio Estrela.


Vovolândia São Pedro de Estrela-RS


Vovolândia São Pedro


Asilo para idosos em Estrela. Fundada em novembro 1993 e registrada no Cartório, em outubro 1994.


O objetivo é promover o bem-estar, a proteção assistencial em geral aos idosos, sem distinção de condições sociais, nacionalidade ou credo religioso.


A Fundação Vovolândia São Pedro é a mantenedora.


Em 1992, Dom Dadeu Canellas esteve em Estrela para assinar a venda de área desapropriada pelo município, na Rua Júlio de Castilhos, no Bairro Cristo Rei, para a construção do prédio da Vovolândia São Pedro.


O prefeito Leonildo José Mariani pagou Cr$ 91 milhões. O prédio foi construído pela comunidade. Localiza-se na Rua Júlio de Castilhos.


Conforme Assis Sampaio, trata-se de uma idéia visionária de Huberto Vier.

Texto: Airton Engster dos Santos

Imagem: Aepan-ONG


ACIE - Associação Comercial e Industrial de Estrela-RS

ACIE – História


O crescimento do comércio e das indústrias exigiu a criação de uma associação que representasse os empresários locais.Uma entidade que serviria para lutar pelos interesses não só de uma classe mas da comunidade. O primeiro escritório funcionava na Rua Fernando Abott, hoje a casa do Sr. Bruno Bess, no calçadão de Estrela.


A primeira reunião aconteceu no dia 26 de dezembro de 1938 na sede do Clube Ginástico Estrela com cerca de 30 empresários presentes.


As dificuldades da época não impediram o desenvolvimento da associação. Com a proibição da língua alemã, a ACIE atuava como um elo entre os comerciantes e autoridades. Apesar da distância e difícil acesso, a ACIE atingia o comércio nos mais remotos vilarejos através de seu representante, Sr. Adolfo Faler, que durante muitos anos viajou pelo interior vendendo e propagando os ideais da entidade.


No primeiro ano de atuação da Acie, 1939, na presidência de Orestes Lúcio Bergamaschi, o Interventor Federal visitou a cidade. Nesta época, a entidade atuava com um escritório técnico que prestava serviços de atendimento e informações de interesse da categoria, como impostos, serviços do DAER e preenchimento de formulários.


Nestes 65 anos de existência, passaram pela ACIE, 24 presidentes e um número incontável de empresários que fizeram parte da diretoria e, através dela, estiveram em batalha constante por melhorias que afetam diretamente a vida das empresas.


Muitas bandeiras foram levantadas pela Acie em sua história. A entidade participou ativamente em reivindicações para a comunidade como posto de saúde, comércio de produtos agrícolas, melhoria das estradas, energia elétrica para o município, aquisição de veículos e novos equipamentos para o corpo de bombeiros, gerador para o hospital, telefonia celular, habitação popular, unidade do SESI, iluminação do pórtico e calçadão de Estrela, entre outras.


Grandes lutas de âmbito regional e estadual também fizeram parte das atividades da ACIE que contribuíram de forma decisiva para o crescimento econômico e social do Vale do Taquari. As principais foram a construção da ponte sobre o rio Taquari, melhorias no transporte ferroviário, melhor aproveitamento do porto de Estrela, duplicação da BR 386, construção e finalização da Rota do Sol, conclusão do asfalto Trans Santa Rita e participação no Movimento Pró-reforma tributária.


Fonte - Site da Acie



Sociedade Rio Branco de Estrela-RS


Sociedade Rio Branco de Estrela

Fundada em 17 de abril de 1947, com o nome Sport Clube Rio Branco, e registrada no Cartório de Estrela, em 22 de abril de 1950, tinha como primeiro presidente Max Henrique Erichsen.


A fundação realizou-se na antiga Casa Comercial de Leopoldo Beckmann, na avenida Rio Branco, 1149, que servia de sede para as reuniões. O objetivo era proporcionar a difusão do civismo e da cultura física, principalmente o futebol amador.

O campo de futebol era alugado do proprietário Albino Leonhart, e ficava onde atualmente funciona uma fábrica de calçados. Todo o serviço de organização do clube era feito pelos sócios aos sábados e domingos.

Em 7 de setembro de 1947 o Esporte Clube Rio Branco conquistou a Taça Prefeito Municipal de Estrela e em 20 de fevereiro de 1951 conquistou a Taça Tanac. Em 1949 foi eleita a 1ª Rainha do Clube Srta. Asta Krombauer.


Sede Social

Em 1950 os membros da diretoria resolveram construir um Salão Social para bailes, que foi inaugurado no mesmo ano onde ficou sediado o Clube. Na década de 50 passou o Clube a denominar-se Sociedade Rio Branco.

Em 1º de junho de 1965, foi registrada a reforma do Estatuto Social, sendo presidente Arno Eckel. Sem fins lucrativos, a Sociedade Rio Branco é filantrópica e de utilidade pública. Promove reuniões de caráter social e cultural, tendo a finalidade de assistir seus associados. A sede social está localizada na Avenida Rio Branco, n.º 816.

Atualmente conta com uma área de 2.525 metros quadrados, com dois salões de festas. O já tradicional Baile de Kerb é realizado anualmente com grande sucesso, entre outros eventos.

Texto: Airton Engster dos Santos

Imagem: Aepan-ONG



INSS de Estrela-RS


Instituto Nacional de Seguro Social - INSS -

A área de 1.875m² para a construção do prédio, na Avenida Rio Branco n.º 553, Estrela-RS, foi doada pelo prefeito Bertoldo Gausmann, em sua segunda gestão.


BENEFÍCIOS DO INSS SERVIÇOS OFERECIDOS PELO INSS:

O INSS é o órgão de execução dos serviços do Ministério da Previdência e Assistência Social, que garante ao trabalhador e a seus dependentes, o seguro social, na forma de aposentadoria, auxílios, pensão por morte e seguro-acidente. Entre os serviços que presta estão, de um lado, a concessão e manutenção de benefícios, incluindo a realização de perícias médicas nos casos de incapacidade para o trabalho ou invalidez e o Programa de Reabilitação Profissional, que busca readaptar o segurado para o mercado de trabalho. E, de outro, a arrecadação das contribuições individuais, e a fiscalização do pagamento dessas contribuições pelas empresas.

COMO GARANTIR SEUS DIREITOS: A Previdência funciona como uma poupança: os benefícios serão equivalentes a média dos 36 (trinta e seis) últimos salários de contribuições, corrigidos mês a mês. Quem trabalha como empregado sem carteira assinada e não contribui para o INSS, ficará sem aposentadoria e sem cobertura do Seguro Social em situações de doença, acidente ou morte. O trabalhador deve exigir que seu patrão o registre no INSS e com o valor real do salário que recebe para não ter decepções no futuro.

O QUE É A INSCRIÇÃO: É o ato pelo qual o segurado é cadastrado no Regime Geral de Previdência Social - RGPS, objetivando a sua identificação pessoal.

QUEM PODE SE INSCREVER OU DEVE ESTAR INSCRITO NA PREVIDÊNCIA SOCIAL: Todo cidadão a partir de 16 anos, como: a) Segurado Obrigatório: Empregado – aquele que presta serviço de natureza urbana ou rural, em caráter não eventual a empresa, sob sua subordinação e mediante remuneração, inclusive como diretor empregado. Empregado doméstico – aquele que presta serviço de natureza contínua, mediante remuneração, a pessoa ou família no âmbito residencial delas, em atividades sem fins lucrativos. Tais como: motorista particular, enfermeira particular, caseiro, piloto, vigia, jardineiro, etc. Contribuinte individual – aquele que exerce suas atividades por conta e risco próprios, sem subordinação. Em atividade de empresário: titular de firma individual, sócio, associado eleito para cargo em direção, síndico, desde que recebam remuneração. Em atividade autônoma: lavadeira, costureira, vendedor ambulante, feirante, profissionais liberais, associado de cooperativa, diarista, taxista, árbitro, etc. Trabalhador avulso – aquele que, sindicalizado ou não, presta serviço de natureza urbana ou rural, a diversas empresas, sem vínculo empregatício, com a intermediação obrigatória do órgão gestor de mão-de-obra ou do sindicato da categoria. Tais como: ensacador de café, guindasteiro, estivador, etc. b) Segurado Especial – o produtor, o parceiro, o meeiro e o arrendatário rural, o pescador artesanal e seus assemelhados, bem como seus respectivos cônjuges ou companheiros e filhos maiores de 16 anos de idade ou a eles equiparados, desde que trabalhem comprovadamente com o grupo familiar respectivo e que exerçam essas atividades individualmente ou em regime de economia familiar. c) Segurado Facultativo: Aquele que não exerce atividade remunerada que a enquadre como segurado obrigatório da Previdência Social, mas que se filia ao RGPS por vontade própria. Tais como: dona de casa, estudante, bolsista, estagiário, síndico de condomínio não remunerado.

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA INSCRIÇÃO: Documento de identificação pessoal (GR/CTPS); Certidão de nascimento (se entre 16 e 18 anos não possuir RG); Endereço completo e atualizado; Para o empregado doméstico é obrigatória a CTPS.

COMO SE INSCREVER NA PREVIDÊNCIA SOCIAL:

A inscrição do empregado, com exceção do doméstico, é formalizada no momento do registro do contrato, pelo empregador, na carteira de trabalho. O empregado doméstico, o contribuinte individual, o segurado especial e o facultativo deverão inscrever-se conforme abaixo: - Inscrição é automática caso o trabalhador já possua cadastro no PIS/PASEP. - Inscrição por telefone - PREVFone. - Inscrição pela internet PREVNet no site www.previdenciasocial.gov.br Inscrição por meio das máquinas de auto-atendimento PREVFácil – disponíveis nas Agências da Previdência Social transformadas ou em qualquer entidade que mantenha convênio/parceria com o INSS.

COMO SE RECOLHE PARA O INSS? O contribuinte poderá efetuar o recolhimento de suas contribuições junto à rede bancária e/ou casas lotéricas, das seguintes formas: Por intermédio da Guia da Previdência Social – GPS, adquirida no comércio ou impressa através da rede “INTERNET”; Por intermédio do pagamento de débito em conta-corrente e demais meios eletrônicos de transferência de fundos. A GPS deve ser paga até o dia 15 de cada mês, referente à contribuição do mês anterior. Caso não haja expediente bancário no dia do vencimento, prorrogar o recolhimento para o dia imediatamente posterior.

IMPORTÂNCIA DE MANTER OS RECOLHIMENTOS EM DIA: É essencial que o cidadão saiba que estando inscrito na Previdência Social e pagando regularmente suas contribuições mensais, está garantindo para si e para seus dependentes o direito a uma série de produtos e serviços, tais como: - Aposentadoria por Idade; - Aposentadoria por Tempo de Contribuição; - Aposentadoria por Invalidez; - Aposentadoria Especial; - Auxílio-doença; - Salário-família; - Salário-maternidade; - Auxílio-acidente; - Pensão por morte; - Auxílio-reclusão - Reabilitação Profissional.

COMO REQUERER OS BENEFÍCIOS DA PREVIDÊNCIA SOCIAL: Todos os benefícios oferecidos pela Previdência Social podem ser requeridos nas Agências da Previdência Social, conforme listagem de endereços. A relação dos formulários e documentos necessários está disponível aos clientes da Previdência Social, no PREVNet – www.previdenciasocial.gov.br

Airton Engster dos Santos - Fonte: Governo Paraná